Notícias Externas

Golpe Militar do Chile completa 45 anos nesta terça-feira

Professora Kátia Geráb Baggio falou sobre a ditadura no país sul-americano, em entrevista ao Conexões

Bombardeio ao Palácio de La Moneda, em 11 de setembro de 1973
Bombardeio ao Palácio de La Moneda, em 11 de setembro de 1973 Foto: Biblioteca del Congreso Nacional / CC BY 3.0 cl / Wikimedia: https://bit.ly/2N6fOCS

Há exatos 45 anos, no dia 11 de setembro de 1973, tropas das forças armadas do Chile se dirigiram para a sede do governo do país sul-americano, com o objetivo de tomar o poder. A ação pôs fim ao governo de Salvador Allende, da Unidade Popular, a primeira coalizão marxista eleita nas urnas na América Latina.

Ao longo de 17 anos, a ditadura imposta por Augusto Pinochet perseguiu, torturou e matou milhares de cidadãos. 

Ao mesmo, o Brasil dos anos 1970 também sofreu com a falta de liberdade, em um período considerado bastante difícil para grande parte da América Latina, muito afetada pela influência de governos de países de outras regiões do mundo.

O Golpe Militar de 1973 no Chile foi tema de entrevista com a historiadora Kátia Geráb Baggio, professora de História das Américas do Departamento de História da UFMG. A entrevista foi ao ar no programa Conexões, da Rádio UFMG Educativa, nesta terça-feira, 11.

Ouça a conversa com Luíza Glória

Em memória ao ocorrido, o Museu Chileno da Memória e dos Direitos Humanos realiza, ao longo do dia, uma transmissão de rádio on-line, com áudios do que era transmitido nas estações durante o golpe. A transmissão pode ser acompanhada no site Sintoniza con la memoria.

Produção de Daniel Silveira e Gabriela Sorice, sob orientação de Luíza Glória e Hugo Rafael