Coberturas especiais

Manifesto da Reforma Universitária de 1918 é revisto por Boaventura Sousa Santos

Professor da Universidade de Coimbra traçou paralelo entre o movimento estudantil de Córdoba e maio de 1968

Boaventura de Sousa Santos, durante abertura da CRES 2018
Boaventura de Sousa Santos, durante abertura da Cres 2018 Comunicación CRES2018

Na conferência inaugural da Cres 2018,  "Los dolores que quedan son los libertades que faltan. para continuar y profundizar el Manifiesto de 1918", o professor da Universidade de Coimbra Boaventura Souza Santos discutiu os aspectos do Manifesto da Reforma Universitária de Córdoba que ainda são atuais, 100 anos após sua publicação.  

A Reforma de Córdoba defendia a autonomia universitária e a democratização das instituições públicas. Durante a palestra, o professor ressaltou o caráter rebelde da reforma e a relação do Manifesto com o movimento de 1968. As duas jornadas, ainda que bem distintas, tinham em comum a luta contra o imperialismo norte-americano.

Ouça reportagem de Maria Dulce Miranda

(*Com produção de Marcílio Lana)