Notícias Externas

O que Nobel 2019 tem a ver com você?

Pesquisas premiadas ajudam na compreensão do nosso corpo, das tecnologias e do universo

Os ganhadores do Nobel de Química John Goodenough, M. Stanley Whittingham and Akira Yoshino
Os ganhadores do Nobel de Química John Goodenough, M. Stanley Whittingham e Akira Yoshino Divulgação Prêmio Nobel

Nesta semana foram anunciados os ganhadores do Nobel, o prêmio mais importante da ciência. Uma notícia que pode passar batida para muita gente, mas você sabia que as pesquisas premiadas neste ano podem ter tudo a ver com você? 

O que seria de você sem o seu celular, por exemplo? Pois é! Sem o trabalho dos cientistas que ganharam o Nobel de Química, esse aparelhinho que a gente usa para tudo hoje em dia não estaria ao alcance da sua mão. O Nobel 2019 é tema do programa “Outra estação” desta semana. 

Nós explicamos a importância dos trabalhos dos pesquisadores agraciados com os prêmios de Medicina ou Fisiologia, Física, Química e também falamos sobre as obras dos dois vencedores na área de Literatura.

Ouça a íntegra do episódio 9 do "Outra estação"

Da bateria do celular aos planetas mais distantes

O Nobel de Física foi para James Peebles, Michel Mayor e Didier Queloz
O Nobel de Física foi para James Peebles, Michel Mayor e Didier Queloz Divulgação Prêmio Nobel

No primeiro bloco do programa, falamos sobre as pesquisas premiadas na área de exatas. O Nobel de Química foi para pesquisadores que desenvolveram a bateria de íon de lítio, usada em celulares, notebooks e carros elétricos. Para entender melhor esses trabalhos, nós conversamos com o professor do Departamento de Química da UFMG Luciano Montoro e o professor do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP) Roberto Torresi.

Já o Nobel de Física premiou pesquisadores que desenvolveram trabalhos voltados para a compreensão do universo. O professor do Departamento de Física da UFMG e líder do Grupo de Astronomia da UFMG Renato Las Casas e o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) José Dias do Nascimento Júnior, do Grupo de Estrutura e Evolução Estelar da Universidade, explicaram os significados desses estudos.

Ouça o bloco 1 do programa

Da respiração celular aos escritores pouco traduzidos no Brasil

O Nobel de Medicina ou Fisiologia foi para William G. Kaelin Jr, Sir Peter J. Ratcliffe e Gregg L. Semenza
O Nobel de Medicina ou Fisiologia foi para William G. Kaelin Jr, Sir Peter J. Ratcliffe e Gregg L. Semenza Divulgação Prêmio Nobel

No segundo bloco sobre o programa, abordamos as pesquisas ganhadoras do Nobel de Medicina ou Fisiologia. Nós conversamos com o professor de Bioquímica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS) Carlos Alexandre Netto e o professor do Instituto de Ciências Biomédicas da USP Thiago Moreira.

Também neste bloco nós falamos sobre o Nobel de Literatura. Para compreender a importância da obra da polonesa Olga Tokarczuk, entrevistamos o professor do Departamento de Polonês, Alemão e Letras Clássicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Piotr Kilanowski. Já o professor da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília Pablo Gonçalo falou com a gente sobre o escritor austríaco Peter Handke.

Ouça o bloco 2 do programa

Conteúdo extra: por que tão poucas mulheres ganharam o Nobel?

Entre os 11 ganhadores até aqui do Nobel 2019 só um é mulher: a escritora Olga Tokarczuk. Nas categorias científicas (Medicina ou Fisiologia, Química e Física) só homens foram premiados neste ano. A sub representação das mulheres na premiação não é de hoje. 

Para se ter uma ideia, de 1901 a 2018, das 901 pessoas premiadas pelo Nobel, incluindo todas as categorias, apenas 51 são mulheres, o que representa só 5% do total. Na área de exatas, os números são ainda piores. Na Química, foram só cinco vencedoras. Na Física, três. Mas por que as mulheres ganharam tão poucos prêmios? 

Foi o que perguntamos à professora do Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Vanderlan Bolzani. Vanderlan foi a primeira e até hoje única mulher a presidir a Sociedade Brasileira de Química em mais de quatro décadas e atualmente é presidente da Academia de Ciências do Estado de São Paulo. 

A professora Vanderlan Bolzani analisa a baixa representatividade das mulheres no Nobel

Além da sub representação das mulheres no Nobel, outra questão costuma chamar a nossa atenção quando falamos do prêmio: por que o Brasil nunca ganhou um Nobel? A professora Vanderlan Bolzani também falou sobre esse assunto. 

A professora Vanderlan Bolzani apresenta hipótese que pode explicar porque o Brasil nunca ganhou um Nobel

Para saber mais sobre o tema:

Site oficial do Prêmio Nobel

Livro O Cinema Como Refugio da Escrita. Roteiro e Paisagens em Peter Handke e Wim Wenders de Pablo Gonçalo

Produção:

O Outra estação desta semana (10/10)  O “Outra Estação” desta semana teve apresentação de Luana Lima, produção de Gabriela Dias, Luana Lima e Breno Benevides. Edição e coordenação de jornalismo de Paula Alkmim e trabalhos técnicos de Breno Rodrigues.

Outra estação explora, semanalmente, um tema de interesse da sociedade, buscando dados e conversando com pessoas que possam trazer contribuições sobre o assunto. 
Na Rádio UFMG Educativa (frequência 104,5 FM), o programa vai ao ar às quintas, às 18h, com reprise na sexta, às 7h30. O Outra estação também está disponível nos aplicativos de podcast.