Pesquisa e Inovação

Pesquisa analisa efeitos da Lei de Cotas e do Sisu no perfil dos estudantes da UFMG

Tese mostra uma reorganização de perfis entres os cursos da universidade

.
Bréscia: Políticas são efetivas, mas ainda é preciso avançar.Júlia Duarte / UFMG

Um assunto que esquenta a cabeça principalmente dos estudantes do ensino médio, mas também mobiliza opiniões políticas, são os processos e métodos de ingresso aos cursos de graduação. O debate é acalorado em relação às cotas raciais e sociais, e a abertura do sistema do SISU é aguardado ansiosamente pelos que fizeram a prova do ENEM. Os efeitos do Sistema de Seleção Unificada e da Lei de Cotas aqui na UFMG foram estudados pela pesquisa Lei de Cotas e Sisu: análise dos processos de escolha dos cursos superiores e do perfil dos estudantes da UFMG antes e após as mudanças na forma de acesso às instituições federais. A tese de doutorado foi defendida em junho deste ano pela professora e assessora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação, Bréscia Nonato. Ela conversou com o programa Expresso 104,5, da rádio UFMG Educativa, nessa segunda-feira, 17.

Ouça a conversa com Filipe Sartoreto

O estudo foi tema de reportagem publicada na edição número 2042 do Boletim UFMG. Você pode ler a versão digital no Portal da UFMG. Basta acessar o ufmg.br/comunicacao e procurar pela edição correspondente do Boletim.

Com produção de Larissa Fernandes e Gabriela Sorice, sob orientação de Luiza Glória e Hugo Rafael