Notícias Externas

Polícia Federal deflagra operação para apurar supostos desvios no Memorial da Anistia

Foram cumpridos oito mandados de condução coercitiva e 11 mandados de busca e apreensão

A Polícia Federal em Minas Gerais deflagrou na madrugada de hoje operação que apura a não execução e o desvio de recursos públicos destinados à construção e implantação do Memorial da Anistia Política do Brasil, projeto financiado pelo Ministério da Justiça e executado pela UFMG via Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep). 

Batizada de “Esperança Equilibrista”, a operação executou oito mandados de condução coercitiva e 11 mandados de busca e apreensão. Documentos e equipamentos eletrônicos foram retirados dos prédios da reitoria da UFMG e da Fundep. 

A PF não divulgou os nomes das pessoas levadas para prestar depoimento, mas informou que elas fazem parte da cúpula da UFMG e da Fundação. Em entrevista coletiva hoje pela manhã, o delegado responsável pela operação, Leopoldo Soares Lacerda, explicou que as investigações se iniciaram em março, envolvendo também a Controladoria Geral da União e o Tribunal de Contas da União. 

Alegando sigilo das investigações, o delegado não especificou que tipos de irregularidades teriam sido cometidas, nem quem seriam os suspeitos, ou quando teriam praticado as irregularidades. 

Ouça a reportagem de Alessandra Ribeiro

Leia mais: 

UFMG divulga nota sobre investigação da Polícia Federal

Ex-reitores manifestam apoio a dirigentes da UFMG