A UFMG tem atuado com empenho e responsabilidade no sentido de ampliar o conhecimento sobre a covid-19, oferecer soluções para mitigar seus impactos na sociedade e, sobretudo, resguardar a vida como valor fundamental. Por meio de um planejamento construído coletivamente com a comunidade, a Universidade vem retomando a ocupação presencial de seus espaços físicos à medida que melhoram as condições sanitárias, o controle da pandemia e o avanço da cobertura vacinal. O marco mais recente desse processo é a plena retomada das atividades acadêmicas presenciais no primeiro período letivo de 2022, iniciado em 26 de março de 2022.

No dia 03 de junho, a UFMG publicou versão atualizada de seu Plano de Retorno Presencial. A atualização é motivada pela percepção da importância de registrar o histórico dos esforços empreendidos nos dois anos de enfrentamento da pandemia e para esclarecer aspectos cruciais da Etapa 3, que autoriza a ocupação presencial – sem restrição em relação ao teto máximo de pessoas - dos espaços físicos da Universidade pelas atividades administrativas, desde que adotadas medidas de segurança como uso de máscaras adequadas, distanciamento social, higiene das mãos e ventilação dos ambientes. 

As salas de aula já estão configuradas de acordo com os protocolos que regem o retorno, o uso de máscaras continua obrigatório, tanto nos espaços internos quanto nos externos, não há indicação de que atividades acadêmicas e administrativas presenciais sejam suspensas quando houver pessoas infectadas na turma ou no setor pois a medida se mostrou inviável, em virtude da dinâmica de organização das aulas e do trabalho na Universidade, com movimentação de estudantes e servidores entre grupos e ambientes diferentes.

Permanece a recomendação de afastamento em caso de sintomas, até que se consulte o TeleCovid ou outro serviço médico. Se o resultado do exame for positivo, a pessoa deve se isolar por dez dias. Há orientações também para resultado negativo e contato domiciliar com pessoas infectadas, entre outras situações.

Capacidade plena

O plano de retorno presencial atualizado prevê, para o segundo semestre letivo deste ano, a possibilidade de utilização plena da capacidade dos espaços. O Comitê considerou fundamental antecipar essa informação porque já é hora de definição da oferta de disciplinas para o próximo período de aulas, que terá início em agosto. De novo, a medida é baseada na certeza da utilização de máscaras de boa qualidade por todos os membros da comunidade e na orientação de manter os espaços arejados. Relatório da Andifes sobre a experiência das universidades federais atesta que o distanciamento entre as pessoas pode ser reduzido se forem observadas as outras medidas de prevenção. 

As atualizações do plano são baseadas em evidências científicas, mudanças no ritmo da imunização e nos quadros epidemiológico e assistencial e nas recomendações das autoridades sanitárias. Cada versão substitui a anterior, pois a evolução do cenário e das medidas de controle da pandemia geram novas perspectivas, demandas e necessidades.

O Comitê Permanente da UFMG de Enfrentamento ao Novo Coronavírus atualizou as recomendações sobre monitoramento da circulação do vírus, com base nas publicações mais recentes da Fiocruz e do Center of Disease Control and Prevention (CDC), órgão máximo de prevenção e controle de doenças nos Estados Unidos. Foram reduzidos, por exemplo, os tempos de quarentena de contatos e isolamento de pessoas assintomáticas, como está detalhado no quadro 1 do Plano. 

Cuide de você, cuide bem da comunidade UFMG.

Atualizado em 03/06/2022.

  1. Plano para o retorno presencial das atividades na UFMG

    As atividades acadêmicas presenciais foram retomadas no dia 26 de março, data de início do primeiro período letivo de 2022. As salas de aula já estão configuradas de acordo com os protocolos que regem o retorno, também condicionado ao uso de máscaras adequadas, higienização das mãos e ventilação de ambientes. No último dia 30 de maio, a UFMG publicou nova atualização do plano de retorno.

    Atualizado em 02/06/2022.

  2. MonitoraCovid UFMG

    O MonitoraCovid UFMG possibilita a notificação e orientação inicial de casos suspeitos, confirmados e contatos de covid-19 na comunidade acadêmica. O sistema apresenta um questionário sobre sintomas e estado vacinal para ser preenchido pelos membros da comunidade que executam atividades presenciais. Em caso de sintomas suspeitos, o MonitoraCovid UFMG encaminha o usuário para o serviço remoto de assistência TeleCovid 19 do Hospital das Clínicas.

    Quando há sintomas de covid-19 ou contato domiciliar, é gerada uma autodeclaração pelo MonitoraCovid. A autodeclaração tem a finalidade de orientar que a pessoa não frequente os espaços da UFMG até ser atendida por profissional de saúde. No texto da autodeclaração é indicado: “procure atendimento de saúde” que pode ser o Telecovid 19 do HC ou outro serviço de saúde da preferência da pessoa.

    O acesso ao MonitoraCovid é feito pelo login do MinhaUFMG. Para trabalhadores terceirizados, é feito via preenchimento de um cadastro. Em caso de dúvidas sobre o que configura contato com caso confirmado de covid-19, acesse aqui.

    Atualizado em 02/06/2022.

  3. Diretrizes para o retorno de atividades presenciais de servidores e setores administrativos

    Leia o ofício da Pró-reitoria de Recursos Humanos sobre o retorno das atividades presenciais dos servidores técnicos-administrativos da UFMG.

    Atualizado em 02/06/2022.

  4. Calendário escolar de 2022

    O primeiro período letivo teve início em 26 de março e será encerrado em 23 de julho. O segundo período letivo será de 22 de agosto a 23 de dezembro.

    Conheça o calendário escolar de 2022.

    Informações atualizadas em 02/06/2022.

  5. Ações da UFMG no enfrentamento à pandemia

    Desde março de 2020, a UFMG trabalha incansavelmente no enfrentamento do novo coronavírus e desenvolveu mais de duas centenas de pesquisas e atividades de extensão para mitigar os efeitos sanitários, sociais e econômicos da crise.

    Acesse o relatório de ações de ensino, pesquisa e extensão da UFMG.

    Acesse o relatório sistematizado de ações de pesquisa, produção de vacinas, medicamentos e testagens.

    Confira algumas das mais de 100 pesquisas realizadas pela UFMG nas mais variadas áreas do conhecimento.

    Informações atualizadas em 30/03/2021.

  6. Resoluções, ofícios e informes à comunidade UFMG
  7. Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus

    A Universidade Federal de Minas Gerais instituiu o Comitê Permanente de Acompanhamento das Ações de Prevenção e Enfrentamento do Novo Coronavírus, que está se reunindo regularmente desde o dia 10 de março de 2020 para analisar a situação epidemiológica do SARS-COV-2 em Belo Horizonte, atualizar-se sobre as evidências científicas e discutir as ações necessárias na UFMG.

    O Comitê tem como missão identificar, promover e articular as ações desenvolvidas na UFMG, visando à colaboração para o enfrentamento da COVID-19.

    Ao Comitê cabe buscar e expressar os melhores argumentos, com embasamento científico e técnico, para assessorar as decisões administrativas e acadêmicas da administração central e das unidades. Não é função do Comitê decidir sobre alocação de recursos.

    Além disso, o Comitê está atento às demandas sociais e de outros setores da sociedade, identificando como a universidade pode participar ativamente por meio de ações educativas, de extensão e de pesquisa.

    As unidades acadêmicas organizaram-se em comitês locais e indicaram representantes para garantir a capilaridade da troca de informações em um contexto complexo, no qual as pessoas estão distantes fisicamente, mas precisam mais do que nunca estarem próximas.

    Confira aqui os informes do Comitê

    Confira aqui a lista dos comitês locais nas unidades


    Aaa 
    Integrantes do Comitê Permanente de Acompanhamento das Ações de Prevenção e Enfrentamento do novo CoronavírusTeresa Sanches

    Princípios norteadores das recomendações do Comitê:

    1. Evidências científicas, tanto as bem consolidadas sobre comportamento de epidemias e infecções respiratórias virais, como aquelas que estão sendo produzidas a respeito do SARS-CoV-2.

    2. Contexto epidemiológico vigente, atualizado diariamente, refletindo o número de casos notificados, suspeitos, confirmados e descartados em Belo Horizonte, em Minas Gerais e no Brasil.

    3. Articulação com outros setores da cidade e do estado, que podem ser afetados pelas decisões da UFMG, direta ou indiretamente, em especial com as Secretarias de Saúde e de Educação e a rede SUS.


    Objetivos das medidas de distanciamento e isolamento social adotadas:

    As medidas de saúde pública adotadas  exigem a compreensão e colaboração de todos e visam a:

    1. reduzir a velocidade da transmissão do SARS-CoV-2 para diluir o número de casos ao longo do tempo, evitando a sobrecarga da demanda por serviços de saúde no pico da epidemia.

    2. proteger as pessoas que apresentam condições de maior vulnerabilidade e podem ter doença grave.

    3. buscar reduzir o impacto social e econômico das medidas de contenção da transmissão.


    Propostas de linhas de ação do Comitê Permanente:

    • Assessoria técnica e científica sobre o SARS-Cov-2 e a Covid-19;

    • Atenção às pessoas da comunidade acadêmica deslocadas de sua casa, cidade, estado ou país;

    • Atenção às pessoas em situação de vulnerabilidade física, social e/ou psicológica;

    • Orientações quanto aos cuidados de prevenção e em casos suspeitos para a comunidade acadêmica e sociedade;

    • Orientações quanto aos cuidados de estudantes e trabalhadores, em contato contínuo com casos suspeitos, especialmente nos hospitais universitários e em locais de estágio;

    • Promoção e cuidados com a saúde mental – Plantão de Apoio Psicológico;

    • Discussão sobre o impacto econômico e social das medidas de isolamento social;

    • Permanente interlocução com hospitais universitários e redes municipal e estadual de saúde, para apoiar com produção e busca de recursos para compra de insumos necessários ao enfrentamento da Covid-19;

    • Interlocução com outros setores da sociedade com potencial de apoiar as ações de enfrentamento;

    • Comunicação com a comunidade interna, externa e com a mídia.


    Integrantes:

    Cristina G. Alvim – Assessora da Reitoria para a Área da Saúde (Presidente)

    Alexandre Rodrigues Ferreira – Gerente de Atenção à Saúde do Hospital das Clínicas da  UFMG

    Benigna Maria de Oliveira – Pró-Reitora de Graduação

    Catarina Nogueira Mota Coelho – Diretoria de Saúde do Trabalhador - DAST

    Claudia Andrea Mayorga Borges – Pró-Reitora de Extensão

    Dawisson Belém Lopes – Diretor-Adjunto de Relações Internacionais

    Fábia Pereira Lima – Diretora do Centro de Comunicação

    Flávio Guimarães da Fonseca – Virologista, Professor do Instituto de Ciências Biológicas

    Unaí Tupinambás – Infectologista, Professor da Faculdade de Medicina


    Contato: comitecoronavirus@ufmg.br


    Informações atualizadas em 12/06/2020.