Conservatório UFMG lança trechos de shows de música popular, contemporânea e instrumental no YouTube

Nesta semana já foram disponibilizadas partes das apresentações de Choro da Mercearia e Sebastián Tellado com Sandra González; amanhã será a vez

O projeto do Conservatório UFMG Notas de Memória, que está disponibilizando no YouTube trechos de apresentações musicais que fazem parte do acervo do Centro de Memória do espaço, divulga nesta semana atrações de música popular, contemporânea e instrumental. Já estão on-line partes dos shows do Choro da Mercearia e de Sebastián Tellado e Sandra González. Amanhã, 19 de junho, serão lançadas partes dos shows do Quarteto Dois a Dois e de Brasil African Voice, que conta com regência de Mamour Ba.

Do grupo Choro da Mercearia está sendo exibida uma apresentação de duas músicas de Jacob do Bandolim, Bole Bole e Santa Morena. O grupo é composto pelos músicos Sílvio Carlos (7 cordas), Raíssa Anastásia (flauta), Marcos Ruffato (bandolim), Du Macedo (cavaco) e Daniel Guedes (pandeiro). Choro da Mercearia foi criado em 2017, a partir de apresentações semanais na extinta Mercearia Maria Flor, no bairro Santa Tereza.

O trecho da apresentação dos argentinos Sandra González (composição) e Sebastián Tellado (flauta) é focado nas músicas A Escada estreita, de João Pedro Oliveira, e Proyecciones sonoras, de Sandra González. Sebastián Tellado serviu como 2ª flauta e 2º Piccolo na Orquestra Sinfônica Nacional da Argentina entre outubro de 2005 e dezembro de 2015. Em 2017 foi indicado pelo curador do Ciclo de Música Contemporânea do Teatro Nacional Argentino – Teatro Cervantes. Sandra González compõe obras para instrumentos solo, conjuntos, orquestra, coro de câmara, obras eletroacústicas e mídias mistas. Suas obras são estreadas por renomados artistas em séries de concertos de prestígio na Argentina.

A apresentação do Quarteto Dois a Dois traz uma linguagem original e inusitada para a música instrumental. O grupo é formado pelos músicos de uma jovem geração da cena belorizontina Camila Rocha (contrabaixo), Natália Mitre (vibrafone), Paulo Fróis (bateria) e PC Guimarães (guitarra). Os shows apresentam um repertório que passa por composições de Gilberto Gil, Antonio Sanchez, Gary Burton, Hamilton de Holanda, além de visitar também grandes standards do Jazz e da música instrumental brasileira.

Formado em 2015 pelo compositor, arranjador, multi-instrumentista, maestro e diretor Mamour Ba (Senegal/África), o grupo Brasil African Voice difunde as expressões vocais que contam a história das vozes africanas. O show traz músicas brasileiras e tradições do continente africano e vozes dos escravos que fizeram parte e influenciaram a música americana, em especial o jazz e blues. Mamour Ba vem, há 30 anos, difundindo sua arte por meio da música, da dança e da filosofia. O artista possui formação acadêmica em música pela Universidade de Versailles-França e em Arte pela Faculdade de Artes de Dakar-Senegal

Siga o Conservatório nas redes sociais (Instagram e Facebook) e fique por dentro da sua programação.

Assessoria de Imprensa UFMG

Fonte

Setor de Comunicação do Conservatório UFMG

www.conservatorio.ufmg.br

Serviço