Ipead/UFMG: BH tem alta na intenção de presentear no Dia das Mães e aumento no custo de vida com preço da gasolina

A pesquisa especial Pretensão de Compra Para o Dia das Mães, desenvolvida anualmente pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG (Ipead/UFMG), constatou que 2021 será um ano com mais presentes. Estes, entretanto, terão valor médio (R$88,81) inferior ao observado em 2020, com queda de 9,84%. Para os pesquisadores, apesar do indicativo de maior intenção de compras, o consumidor se mostrou cauteloso.

Pelo segundo ano consecutivo, o comércio do Dia das Mães sofre com os impactos causados pela pandemia da covid-19. Porém, diferentemente de 2020, neste ano as lojas de BH estarão abertas para receber seus clientes.

Destaca-se que a faixa de valor para presentes De R$ 51,00 a R$ 100,00 foi a mais citada pelos respondentes, representando 32,38% dos consumidores que pretendem presentear em 2021. Adicionalmente, ressalta-se que 49% dos consumidores que pretendem presentear anunciaram que gastarão, neste ano, valor igual ao que gastou no ano passado.

O estudo é aplicado juntamente com o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de Belo Horizonte, com objetivo de avaliar as expectativas de compra e garantir ao empresário do comércio varejista mineiro uma previsão das intenções em tempo real, para melhor planejamento dos negócios em termos de estoques, contratações e investimentos.

Alta no custo de vida

O custo de vida em Belo Horizonte novamente registrou aumento, com principal contribuição do preço da gasolina comum, que sofreu alta de 1,25% em abril. Na comparação com março, o custo de vida do último mês subiu 0,40%. Seguem abaixo os destaques do mês. As pesquisas completas podem ser encontradas no site do Ipead.

As altas foram medidas pelo índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e pelo índice de Preços ao Consumidor Restrito (IPCR). O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados, sendo destaques as altas de 1,59% para Alimentos industrializados, de 1,57% tanto para Alimentos elaboração primária quanto para Vestuário e complementos e de 1,38% para Saúde e cuidados pessoais. No sentido oposto, não houve destaques significativos.

A inflação acumulada nos últimos 12 meses está em 6,83%, e a cesta básica apresentou alta de 15,65% no mesmo período. O custo da cesta somente em abril subiu 0,83%, após duas quedas consecutivas, passando a custar R$ 556,91. Os principais responsáveis pela alta foram a carne chã de dentro (3,14%), o feijão carioquinha (5,67%) e a manteiga (3,37%).

Por outro lado, após forte queda em março, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC-BH) também apresentou alta no mês de abril, atingindo 33,16 pontos. As componentes Emprego e Situação econômica do país foram as que mais contribuíram para a melhora do humor dos consumidores de Belo Horizonte.

As taxas médias de juros praticadas para pessoa física apresentaram alta na maioria dos setores ao serem comparadas às taxas do mês de março. Entre as taxas para pessoa jurídica, a maioria apresentou redução. Entre as taxas de captação, a maioria apresentou alta em relação ao mês anterior.

Sobre o Ipead

A Fundação Ipead é uma entidade sem fins lucrativos, credenciada pelo Ministério da Educação – MEC e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC, como fundação de apoio à Faculdade de Ciências Econômicas – Face da UFMG.

Assessoria de Imprensa UFMG

Fonte

Assessoria de Comunicação da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas Administrativas e Contábeis

(31) 98419-9802

https://www.ipead.face.ufmg.br/site/

Serviço