'Newsletter' da UFMG aborda impactos da Covid-19 na segurança pública

Boletim produzido pelo Crisp é veiculado semanalmente

Pesquisadores do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crsip) da UFMG vêm produzindo, semanalmente, uma newsletter sobre os impactos da Covid-19 na segurança pública. O boletim é veiculado no Facebook e no site do Centro, sempre às quartas-feiras, com a intenção de fornecer informações e reflexões sobre o tema.

Dividida em três seções, a newsletter apresenta um artigo publicado pelo grupo recentemente, outro escrito em anos anteriores ligado a uma temática de fundo e uma publicação de pesquisadores que não estão vinculados à UFMG. Os temas mais recorrentes são a qualidade dos dados de mortalidade, a violência doméstica, a morte e o afastamento de profissionais da segurança pública e o medo que cerca a população em torno da doença e do crime em meio à pandemia.

“É muito importante que as pessoas façam as melhores escolhas em relação à prevenção da Covid-19. A Universidade cumpre um papel essencial de mostrar a gravidade do cenário e desconstruir narrativas que diminuam o impacto da pandemia, além de transmitir informações qualificadas para o governo tomar a melhor decisão possível", afirma a professora Ludmila Ribeiro, uma das editoras da newsletter.

Violência doméstica

Segundo pesquisa realizada pelo próprio Crisp, em que Ludmila participa ao lado de Bráulio Alves da Silva, ambos professores do Departamento de Sociologia, 6,7% das pessoas entrevistadas disseram que foram vítimas, pela primeira vez, em seus lares, de xingamentos, insultos, empurrões, agarrões, espancamento e ameaças com arma. O estudo foi realizado em parceria com o Instituto Olhar e com a NetQuest.

Artigos de outros pesquisadores são reproduzidos de veículos digitais, como o Nexo e o Jota, que mesclam conteúdo acadêmico e notícias diárias. A produção é feita apenas por mulheres, todas vinculadas ao Crisp. As responsáveis são as professoras Ludmila Ribeiro e Valéria Oliveira, as residentes de pós-doutorado Thais Lemos Duarte e Luana Hordones Chaves, as doutorandas Natália Martino, Ariane Lopes e Isabela Araújo e a pesquisadora Lívia Lages.

O Grupo também disponibiliza a newsletter por e-mail. Os interessados devem enviar uma mensagem para daniele@crisp.ufmg.br.

Termômetro da crise

Foi lançada, no site do Crisp, uma aba específica para a publicação das iniciativas do grupo. Além da newsletter, a coluna Por elas: pandemia e segurança aborda os desafios dos sistemas de justiça e direitos. Já a pesquisa O termômetro da crise: Covid-19 disponibiliza resultados que indicam como a população da Região Metropolitana de Belo Horizonte e do Brasil têm-se adaptado à rotina de isolamento social.

Em reportagem publicada recentemente no Portal UFMG, pesquisadoras do Centro refletem sobre as pressões que a Covid-19 exercem sobre o já caótico sistema prisional brasileiro.

Vinculado ao Departamento de Sociologia e Antropologia da UFMG, o Crisp é herdeiro da tradição de estudos sobre violência e criminalidade iniciados pelo professor Antônio Luiz Paixão. O Centro é composto por pesquisadores de diferentes áreas e tem o objetivo de produzir conhecimento acadêmico sobre os problemas da violência e da criminalidade e auxiliar na formulação, implementação e avaliação de políticas de segurança pública em Minas Gerais e no Brasil.

(Texto de Samuel Resende)

Assessoria de Imprensa UFMG

Fonte

Assessoria de Imprensa UFMG

Serviço