Pesquisadores da UFMG falam sobre a relevância da higiene mental durante a pandemia

Equilíbrio entre receber informações e descansar a mente é desafio durante momento tão incerto

Durante a pandemia, muitas pessoas têm se queixado do mal-estar psicológico causado pelo intenso fluxo de notícias sobre a doença, número de infectados e óbitos no país. Além disso, o compartilhamento de informações falsas também contribui para o aumento da angústia e surgimento de alguns transtornos emocionais. Sendo assim, a higiene mental surge como uma alternativa para desviar um pouco a atenção da doença e focar mais no próprio bem-estar físico e mental. 
 
De acordo com o professor da Escola de Ciência da Informação da UFMG, Carlos Araújo, a divulgação de informações a respeito da real dimensão da pandemia é sim necessária para evitar um falso otimismo que pode levar as pessoas a não seguirem mais o isolamento e as medidas de prevenção. O que deve ser evitado é o consumo único e constante dessas informações.
 
O aluno de mestrado em Estudos Psicanalíticos da UFMG Pedro Teixeira explica que a higiene mental pode ser uma possibilidade de amenizar os impactos causados por esse momento de incertezas. Hábitos que envolvam uma boa alimentação, práticas de exercícios, dedicação ao tempo de lazer e terapia são muito importantes no dia a dia das pessoas. De acordo com Pedro Teixeira, a sociedade atual exige uma alta produtividade na maior parte do tempo e, por isso, é necessário que as pessoas tirem um momento para relaxar e não se cobrar tanto, ainda mais nesse período de isolamento.

Assista ao vídeo produzido pela TV UFMG:

Equipe: Ruleandson do Carmo (produção e edição de conteúdo), Marcia Botelho (edição de imagens) e Flávia Moraes (edição de conteúdo)

Assessoria de Imprensa UFMG

Fonte

Assessoria de Imprensa UFMG

Serviço