Programa que aproxima universidade da indústria lança edital para apoiar tecnologias inovadoras

O 'Escale-se', que é liderado na UFMG pelo professor Rochel Montero Lago, oferecerá suporte a pelo menos 10 iniciativas

Tecnologias devem resolver problemas, melhorar a qualidade de vida e otimizar processos, mas, muitas vezes, ficam estagnadas nos laboratórios. O Brasil tem grande potencial, com trabalho de ponta feito nas universidades, mas apenas 6% das pesquisas desenvolvidas na UFMG, por exemplo, já chegaram ao mercado. Com o objetivo de contribuir para superar essa lacuna, o programa Escale-se lançou, nesta terça-feira, 23 de março, em seu site, edital para seleção de projetos de pesquisas inovadoras de hard science (química, física, biologia, engenharias). Interessados já podem preencher o formulário prévio. Eles receberão, por e-mail, a informação sobre a data de abertura das inscrições das propostas. 

Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e apoiado pela RHI Magnesita, o projeto busca mapear 30 tecnologias promissoras no ecossistema de inovação mineiro. Desse total, de 10 a 15 passarão por uma fase de pré-aceleração, com mentorias e consultorias que visam transformar as ideias em possibilidades de negócio. Depois dessa etapa, de duas a cinco equipes passarão por avaliações e planejarão a transferência da escala de bancada no laboratório para uma escala industrial, em maior quantidade. Ao fim do processo, o programa oferecerá até R$ 100 mil de aporte para o escalonamento da tecnologia vencedora.

O professor Rochel Montero Lago, do Departamento de Química e um dos líderes do projeto, ressalta a ligação entre as universidades e corporações na busca pela inovação. “O programa faz parte de uma rica experiência já desenvolvida na UFMG que visa conectar empresas e universidade. Como resultados, esperamos ajudar a introduzir no mercado empresas mais inovadoras, detentoras de tecnologias que resolvam problemas e ampliam negócios”, destaca Montero.

Podem participar do programa estudantes de graduação, pós-graduação, professores e pesquisadores vinculados a alguma instituição de ensino de Minas Gerais e que atuam nas chamadas áreas de hard science. Os interessados podem submeter uma tecnologia que vai solucionar desafios propostos pela mineradora RHI Magnesita ou optar por uma modalidade livre, não vinculada a essas demandas.

Outras informações podem ser encontradas nas redes sociais (@escale_se) ou solicitadas pelo e-mail comunicacao@escalese.com.br.

Incubadora

A iniciativa é fruto de parceria entre o Centro de Escalonamento de Tecnologias e Modelagem de Negócios (Escalab), vinculado ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Midas (INCT Midas), e o hub de inovação da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) – FiemgLab. 

O Escalab é uma incubadora de escalonamento de tecnologias e modelagem de negócios criada a partir de parceria da UFMG e com o Centro de Inovação Tecnológica do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) – CIT-Senai. Oferece espaço físico com coworkings para desenvolvimento de negócios, laboratórios para testes e adequações, sala de reuniões e espaço para construção de plantas-piloto. Além disso, realiza a modelagem de negócios, ou seja, uma avaliação de mercado, clientes e, principalmente, a validação do potencial daquela tecnologia em se transformar em produto viável. Atualmente, a incubadora abriga nove tecnologias em fase de pré-escalonamento ou escalonamento – quatro delas destinadas à Samarco e duas à Arcelor Mittal. Todas deverão ser inseridas no mercado. 

O INCT Midas desenvolve ciência aplicada de ponta nas áreas de química, engenharia, materiais e processos que gerem tecnologias ambientais de alto potencial aplicado para a valoração de resíduos e materiais renováveis. O Midas também oferece um programa de formação empreendedora, com o objetivo de disseminar a mudança de mentalidade em discentes e docentes de instituições de pesquisa do Brasil, e realiza atividades de divulgação da ciência no ensino médio.

O Fiemg Lab é o hub de referência em inovação aberta da indústria com startups industriais – as indtechs. Trata-se de iniciativa do Instituto Euvaldo Lodi (IEL) de Minas Gerais, que tem o propósito de acelerar o futuro da indústria por meio da inovação aberta com startups.

Os parceiros que fizeram o Escale-se são: Fapemig, Escalab, FiemgLab, Biominas Brasil, Sebrae, UFMG, CTIT UFMG, INCT Midas e a RHI Magnesita.

Assessoria de Imprensa UFMG

Fonte

Assessoria de Imprensa UFMG

Serviço