Teses escritas e orientadas por mulheres na UFMG vencem Prêmio Capes

Trabalhos se destacaram nas áreas de Ciências Biológicas e Farmácia; outras nove teses, de áreas diversas, receberam menção honrosa

Duas teses defendidas na UFMG estão entre as vencedoras do Prêmio Capes de Tese 2019. Maria Cecília Canesso venceu na área Ciências Biológicas 2 e Michelle Sugimoto na área de Farmácia. Ambos os trabalhos dizem respeito, sob diferentes perspectivas, ao processo inflamatório humano. Outros nove trabalhos da Universidade foram premiados com menção honrosa pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Maria Cecília Canesso foi premiada pela tese Microambientes e sensores imunológicos no intestino: homeostase e inflamação, que foi orientada pela professora Ana Caetano de Faria e defendida no Programa de Pós-graduação em Bioquímica e Imunologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB).

No trabalho, a pesquisadora aborda a interferência das respostas imunes nos diferentes microambientes do intestino, bem como os seus sensores, na homeostase intestinal [processo de regulação pelo qual um organismo consegue a constância do equilíbrio do intestino]. Também investiga os fatores que influenciam essas respostas imunes no órgão e podem levar a condições inflamatórias e à susceptibilidade a doenças.

Michelle Sugimoto, por sua vez, venceu o Prêmio Capes com a tese Estudo do sistema plasminogênio/plasmina na resolução da inflamação: efeitos nas funções de macrófagos e neutrófilos, que foi orientada pela professora Lirlândia Pires de Sousa e defendida no Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas, da Faculdade de Farmácia.

A pesquisadora detectou que “o sistema Plg/Pla regula vários eventos-chave na resolução da inflamação”, eventos que têm “grande impacto sobre o estabelecimento de um processo de resolução [da inflamação] eficiente”. A plasmina é uma substância produzida pelo fígado; plasminogênio é o nome dado à sua forma inativa, na qual ela é produzida.

Com o resultado alcançado pela UFMG no Prêmio Capes de Teses, pode-se ressaltar a importância da mulher na produção de ciência na Universidade, uma vez que as duas teses premiadas foram produzidas e orientadas por mulheres, além de enaltecer a qualidade das pesquisas.

Teses premiadas com menção honrosa

Além das duas teses vencedoras, outros nove trabalhos produzidos na UFMG foram contemplados com menção honrosa. Na grande área de Ciências Humanas, Sociais Aplicadas, Letras e Artes, receberam menção honrosa: Rachel Barreto, com a tese Tribuna ao vivo: discussão, representação e os avessos suscitados pela midiatização do parlamento, defendida na área de Ciência Política e Relações Internacionais, e Tarcísio Magalhães, com a tese Teoria crítica do Direito Tributário Internacional, defendida na área de Direito.

No campo das Ciências Exatas e da Terra e Engenharias, foram reconhecidas quatro teses. Na área de Ciência da Computação, recebeu menção honrosa a tese Relevance, novelty, diversity and personalization in tag recommendation, de Fabiano Belém; em Matemática/Probabilidade e Estatística, a menção foi para o trabalho Contemporary topics in Finite Fields: existence, characterization, construction, and enumeration problems, de Lucas Reis; na área de Engenharias I, foi contemplada a tese Failure analysis of quasi-brittle media using the micropolar continuum theory, elastic-degrading constitutive models, and smoothed point interpolation methods, defendida por Lapo Gori; em Geociências, o Prêmio Capes reconheceu a tese Geodynamic evolution of the Southern Brasília orogen (SE Brazil): new petrochronological insights from UHT and HP metamorphic rocks, defendida por Mahyra Tedeschi.

Em Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde, por fim, três pesquisadores foram premiados com menção honrosa: Luis Fernando Furtado, com a tese Polimorfismos envolvidos no processo de resistência aos benzimidazóis em ancilostomídeos, defendida na área de Ciências Biológicas III; Guilherme Tavares, com a tese Insights into the diversity, adaptation and virulence of fish-pathogenic Streptococcus agalactiae strains through transcriptomic and proteomic analysis, defendida na área de Medicina Veterinária, e Carolina Miaw, com o trabalho Detecção de fraudes em néctares de frutas: análises espectroscópicas aliadas a métodos de calibração e classificação multivariada, apresentada na área de Ciências de Alimentos.

Com essa diversidade de trabalhos premiados com menção honrosa, a UFMG teve pesquisas contempladas nas três grandes áreas do conhecimento, o que reflete o equilíbrio qualitativo da produção científica da Universidade. Os programas de pós-graduação da UFMG considerados de excelência pela Capes (66% do total) estão distribuídos por essas três grandes áreas.

(Com informações de Ewerton Martins Ribeiro do Portal UFMG e da Assessoria de Comunicação da Capes)

Assessoria de Imprensa UFMG

Fonte

Assessoria de Imprensa UFMG

Serviço