Notícias Externas

"É o fim da pós-graduação", afirma professor sobre possível corte em bolsas

Capes divulga documento sobre consequências da manutenção da redução orçamentária para a educação

A Ceua estabelece normas gerais para a utilização de animais em pesquisa e procedimentos pedagógicos, como aulas práticas e treinamentos
Pesquisas ficarão prejudicadas com cortes no investimento
Foto: Foca Lisboa / UFMG

A Capes encaminhou nessa quinta-feira, 2, ofício ao ministro da Educação, Rossieli Soares, em que destaca todos os cortes que serão necessários se a redução dos investimentos para educação for mantida. De acordo com o órgão, serão suspensos os pagamentos de todos os bolsistas de mestrado, doutorado e pós-doutorado, a partir de agosto do ano que vem, atingindo mais de 93 mil discentes e pesquisadores. 

Os ministérios do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e da Educação divulgaram nota conjunta sobre os cortes, que alcançaria R$ 2,8 bilhões. O montante destinado ao MEC em 2018 foi de R$ 23,6 bilhões; para 2019, a verba total seria de R$ 20,8 bilhões.

À reportagem da Rádio UFMG Educativa, os professores Eduardo Mortimer e Luciano Mendes, da Faculdade de Educação, manifestaram sua preocupação com os cortes."Eles representam o fim da pós-graduação no Brasil", declarou Mortimer.

Ouça reportagem de Larissa Arantes