Pesquisa da UFMG mostra como comunidade negra cura as feridas da escravidão

Tese da Comunicação aborda a experiência de crianças negras com o Reinado, em Oliveira (MG)

Superar as feridas deixadas pela escravidão representa um desafio e um movimento de resistência para muitas comunidades negras. Com o intuito de identificar as relações de reparação de um passado ainda doloroso e que deixou marcas profundas, como o racismo, Bárbara Regina Altivo fez uma pesquisa de campo que deu origem à sua tese defendida no Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da UFMG, que une pesquisa acadêmica e saberes tradicionais.

A pesquisadora observou as práticas da comunidade negra de Os Leonídios, localizada em Oliveira, no Centro-Oeste de Minas Gerais. No estudo, Bárbara Altivo trabalhou com o Reinadinho, guarda do Reinado formada exclusivamente por crianças da irmandade. O Reinado é uma festa religiosa integrante da cultura de negros que foram escravizados no Brasil.

Saiba mais no episódio 23 do programa Aqui tem ciência, da Rádio UFMG Educativa.

Raio-x da pesquisa

Título original: Rosário dos kamburekos: espirais de cura da ferida colonial pelas crianças negras no Reinadinho (Oliveira-MG)

O que é: tese se propõe a identificar as relações de reparação das consequências deixadas pela escravidão na comunidade negra Os Leonídios, em Oliveira, em Minas Gerais. Como resultado do trabalho, a pesquisadora observou que os vínculos ancestrais viabilizaram a realização de uma espécie de autorreparação do passado.

Pesquisadora: Bárbara Regina Altivo

Defesa: 2019

Programa de Pós-Graduação: Comunicação Social

Orientadoras: Luciana de Oliveira (acadêmica) e Pedrina de Lourdes Santos (saberes transversais)

O episódio 23 do Aqui tem ciência foi apresentado por Luana Lima, com produção de Luana Lima e Arthur Bugre, edição e coordenação de jornalismo de Paula Alkmim e trabalhos técnicos de Breno Rodrigues. O programa é uma pílula radiofônica sobre estudos da UFMG e abrange todas as áreas do conhecimento. A cada semana, a equipe da Rádio UFMG Educativa apresenta resultados de trabalho de um pesquisador da Universidade. O Aqui tem ciência está disponível em aplicativos de podcast e vai ao ar na frequência 104,5 FM, às segundas-feiras, 11h, com reprises às quartas-feiras, a partir das 14h30, e sextas-feiras, às 20h.

Assessoria de Imprensa UFMG

Fonte

Assessoria de Imprensa UFMG

Serviço