'Projeto Respirar' da UFMG auxilia na reabilitação pulmonar pós-covid-19

Serviço é oferecido por professores e estudantes da EEFFTO; grande parte dos pacientes interrompe o uso de oxigênio antes do fim do programa

Projeto Respirar, da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional (EEFFTO) da UFMG oferece reabilitação a pacientes com doenças pulmonares crônicas. Durante o período da pandemia, o projeto passou por adaptações. Em um primeiro momento, foi realizado o telemonitoramento das pessoas que já recebiam acompanhamento pelo projeto. A partir de setembro de 2020, começou a ser oferecido o teleatendimento, ou telereabilitação, que também beneficia pacientes diagnosticados com covid-19. Até fevereiro de 2021, foram realizadas 98 avaliações e nove pessoas receberam alta. 

O coordenador do Projeto Respirar, professor Marcelo Velloso, explica que o telemonitoramento incluía acompanhamento de sinais e sintomas relacionados às doenças dos pacientes e oferta de orientações sobre o isolamento social e medidas de prevenção da covid-19. No teleatendimento, os pacientes são reavaliados por meio de videochamadas e realizam os exercícios com supervisão da equipe da UFMG.

Para ter acesso à reabilitação, gratuita, é necessário que o paciente tenha encaminhamento médico. O público-alvo do projeto é composto por pessoas com doenças respiratórias crônicas, como doença pulmonar obstrutiva crônica, asma, fibrose pulmonar, bronquite crônica e aqueles que necessitam de reabilitação pulmonar pós covid-19.

Devido à demanda crescente, o programa mantém uma lista de espera para novos pacientes. O canal de informações e agendamentos é o Instagram Respirar UFMG.

A Reabilitação

O tratamento tem a duração de oito semanas. São duas sessões semanais, cada uma com 1h30. Os pacientes realizam os treinos aeróbico e resistido e aplicam técnicas para melhorar a ventilação pulmonar e remover a secreção. Ambos os treinos são adaptados conforme a realidade, condição física e utensílios de cada paciente. A aluna de doutorado em Ciências da Reabilitação pela UFMG Bianca Carmona Rocha destaca que grande parte dos atendidos consegue interromper o uso de oxigênio antes do fim do programa.

A TV UFMG conversou com duas pacientes do projeto, a professora aposentada Eliana Teixeira de Assis e a operadora de telemarketing Maria Cristina Cardoso Silva. Ambas foram internadas por causa de complicações da covid-19 e encaminhadas à UFMG após receberem alta. Elas relatam melhora significativa em tarefas simples, como conversar ou fazer uma caminhada. Confira o vídeo:

Projeto Respirar é coordenado pelo professor Marcelo Velloso e pela fisioterapeuta Liliane Patrícia de Souza Mendes, doutora em Ciências da Reabilitação pela UFMG. Atuam no projeto 23 alunos do curso de graduação em Fisioterapia, dois alunos da pós-graduação em Ciências da Reabilitação e uma fisioterapeuta colaboradora.

Entrevistados: Marcelo Velloso (coordenador do Projeto Respirar e professor do Departamento de Fisioterapia da UFMG), Bianca Carmona Rocha (aluna de doutorado em Ciências da Reabilitação na UFMG), Eliane Teixeira de Assis (professora aposentada) e Maria Cristina Cardoso Silva (operadora de telemarketing)

Equipe: Maria Carolina Martins (produção), Marcelo Duarte (edição de imagens) e Jessika Viveiros (edição de conteúdo).

Assessoria de Imprensa UFMG

Fonte

Assessoria de Imprensa UFMG

Serviço