Arte e Cultura

Espiritualidade indígena tem destaque em atividades do festival

Palestra e oficina abordam espiritualidade indígena do sertão pernambucano e sua forma de organizar e pensar o mundo

Socióloga Avelin Kambiwá ministra oficina 'Espiritualidade indígena e bem viver'
Socióloga Avelin Kambiwá ministra oficina 'Espiritualidade indígena e bem viver' Foto: Mariana Bastani Ribeiro

O Festival de Verão da UFMG, em 2018, inclui, em sua programação, atividades que vão apresentar a espiritualidade indígena do sertão pernambucano e sua forma de organizar e pensar o mundo.

Além da palestra O sagrado no cotidiano indígena, focada na figura de Mãe Jurema, realizada na manhã desta terça-feira, 6, ocorre desde segunda, 5, a oficina Espiritualidade indígena e bem viver, ministrada no Conservatório UFMG (Avenida Afonso Pena, 1.534, Centro).

A socióloga, militante e professora Avelin Buniacá Kambiwá, indígena da etnia Kambiwá, de Pernambuco, responsável por ministrar a palestra e a oficina, falou sobre a atividade em entrevista ao programa Conexões, da Rádio UFMG Educativa.

Avelin Kambiwá explicou que, na cultura indígena, a espiritualidade não está dissociada das outras práticas da vida. “Na espiritualidade indígena, ao mesmo tempo em que se prepara um alimento, você está em conexão com o sagrado. O sagrado está em tudo”, afirmou.

Ouça a conversa com Luíza Glória

Outras informações sobre a programação podem ser consultadas no site do Festival de Verão ou obtidas pelo telefone (31) 3409-4220. Novidades sobre o Festival de Verão da UFMG também podem ser acompanhadas no Facebook, no Twitter e no Instagram.