Pesquisa e Inovação

Tecnologia desenvolvida na UFMG é finalista em prêmio de inovação médica

Dispositivo usa luz de LED para precisar idade gestacional de prematuros

Dispositivo identifica a idade gestacional usando luz LED
Dispositivo identifica a idade gestacional usando luz LED Arquivo pessoal

Aparelho que detecta a prematuridade do bebê através da interação entre a luz e a pele, o Preemie-Test foi um dos três finalistas do Prêmio Abril & Dasa de Inovação Médica, que identifica projetos brasileiros que valorizam o desenvolvimento e a implementação de novas ideias, práticas e tecnologias nas áreas acadêmica, clínica, laboratorial e assistencial.

O trabalho do grupo Skinage, da Faculdade de Medicina da UFMG, disputou a final com outros dois projetos pela categoria Inovação em Medicina Diagnóstica. A cerimônia de premiação foi realizada na última quarta-feira, 5, em São Paulo.

A professora Regina Aguiar, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina. Para a professora Zilma Reis, do mesmo Departamento, o fato de terem concorrido ao prêmio mostra a importância do grupo, que vem desenvolvendo trabalhos nos últimos quatro anos. “Avaliado por jurados altamente capacitados e pela opinião pública, o Preemie-Test recebeu reconhecimento nacional de sua relevância como ciência e como inovação, destacando seu potencial de efetivamente contribuir para melhorar a saúde dos recém-nascidos”, avalia.

De acordo com a professora, o aparelho cumpre importante função em termos de saúde pública, uma vez que reúne características de precisão e baixo custo, ajudando a salvar vidas, especialmente em locais com menos recursos.

Preemie-Test
O projeto que deu origem ao aparelho nasceu em outubro 2014 e, logo no ano seguinte, conquistou a premiação da Fundação Bill & Melinda Gates na 14ª chamada mundial Grand Challenges Explorations — rede internacional de iniciativas para resolução de problemas globais de saúde e desenvolvimento. Somado a isso, o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) possibilitou o financiamento do programa.

Desde então, segundo a professora Zilma Reis, bons resultados científicos foram alcançados. “Destacamos três artigos publicados em revistas cientificas de alto impacto, uma dissertação de mestrado defendida, outras três em andamento, além de uma tese de doutorado”, aponta.

Neste ano, o Preemie-Test foi contemplado na 9ª chamada mundial Grand Challenges Canada, além de ter sido convidado pela Organização Mundial de Saúde, pela segunda vez, para participar do 4th WHO Global Forum on Medical Devices. O projeto foi tema de reportagem no Portal UFMG.

Assessoria de Comunicação da Faculdade de Medicina