Pesquisa e Inovação

Tese de doutorado analisa a relação entre rock brasileiro e política nos anos 80

Barão Vermelho no Rock in Rio de 1985.
Barão Vermelho no Rock in Rio de 1985: 'Pro dia nascer feliz' se torna hino da redemocratização.Reprodução Youtube

Os anos 1980 são conhecidos pela extensa produtividade musical. Muitos dos discos campeões de vendas no mundo inteiro foram gravados na década de 80. Aqui no Brasil, não foi diferente. O rock foi o ritmo musical que mais fez sucesso. Bandas como Blitz, Legião Urbana e Barão Vermelho fizeram a cabeça da juventude. Ao mesmo tempo, o país passava por grandes transformações na política. Em 1985, o Congresso Nacional definia o primeiro presidente civil após 21 anos de ditadura militar. O restabelecimento da democracia e da liberdade de expressão fizeram emergir uma juventude crítica e consciente. E foi esse fator que uniu o rock e a política. Tratando desse tema, Bruno Viveiros, produtor do “Decantando a República” aqui na Rádio UFMG Educativa defendeu sua tese de Doutorado na última sexta-feira.
Para saber mais sobre a Tese de doutorado - “Pro dia nascer feliz: a nova república e o rock brasileiro na década de 1980”, o programa Noite Ilustrada conversou com Bruno Viveiros, doutor em História e produtor do “Decantando a República”, aqui na Rádio UFMG Educativa.

Ouça a conversa com Luiz Fernando Freitas

A tese “Pro dia nascer feliz: a nova república e o rock brasileiro na década de 1980” foi defendida na última sexta-feira, 14, e, em breve, estará disponível na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFMG. Bruno Viveiros também é produtor do “Decantando a República” que é veiculado de segunda a sexta, a partir das 10:15 da manhã, dentro do programa Conexões aqui pela Rádio UFMG Educativa.

Produção: Daniel Silveira e Gabriela Sorice - sob orientação de Luíza Glória e Hugo Rafael