Notícias Externas

Belo Horizonte não atinge meta de matrículas de 0 a 3 anos

Apenas 10% dos municípios brasileiros já atingiram marca, estipulada pelo PNE

Crianças brincam na UMEI Pituchinha, na região Noroeste
Crianças brincam na UMEI Pituchinha, na região Noroeste Divino Advincula | PBH

Levantamento do Instituto Rui Barbosa e da Associação dos Tribunais de Contas mostra que, em 2016, Belo Horizonte tinha em torno de 37% das crianças de 0 a 3 anos matriculadas em creches. A meta estabelecida pelo Plano Nacional de Educação é ter pelo menos 50% dessas crianças matriculadas até 2024. A situação da capital  é melhor que a do estado de Minas Gerais e a do Brasil, que têm cerca de 27% de alunos de 0 a 3 anos em creches. 

No Plano Plurianual de Ação Governamental da Prefeitura, que determina ações e metas de 2018 até 2021, a administração municipal pretende aumentar o número de crianças matriculadas em creches da rede conveniada do município de 24 mil para 30 mil alunos. 

Para a professora da Faculdade de Educação da UFMG, Lívia Fraga, a meta da prefeitura é satisfatória para alcançar a meta do PNE, mas é preciso que sejam feitos investimentos na rede pública do município, já que creches conveniadas muitas vezes têm uma qualidade de atendimento menor. Já a secretária municipal de Educação, Ângela Dalben, defende a parceria com a rede conveniada, uma vez que essas instituições já possuem estruturas prontas para receber as crianças.

Ouça na reportagem de Samuel Sousa