Pesquisa e Inovação

Em colóquio, pesquisadores vão discutir desistência do crime na adolescência

Superação de situações de vulnerabilidade e segregação será analisada à luz da psicanálise

Jovem em instituição de recuperação de menores infratores:
Jovem em instituição de recuperação: novas análises sobre a relação entre adolescência e criminalidadeOmar Ferreira / Imprensa MG / Fotos Públicas / CC BY-NC 2.0

Resultados de intervenções no escopo da pesquisa Adolescências e leis: um estudo psicanalítico sobre a desistência do crime na adolescência serão apresentadas durante o II Colóquio Internacional Adolescências e Leis e X Seminário Clínico Adolescências em Tempos de Guerra, agendado para os dias 30 e 31 de agosto, no Centro de Atividades Didáticas das Ciências Humanas (CAD 2), no campus Pampulha. 

Organizado pelo Núcleo Psilacs - Psicanálise e Laço Social no Contemporâneo da UFMG, o evento também suscitará análises sobre a superação de situações críticas de vulnerabilidade e segregação social por adolescentes. Também será abordada uma nova leitura do fenômeno político da violência juvenil conjugando os saberes populares, a oralidade dos jovens, a leitura do outro social e os saberes acadêmicos em produtos científicos (artigos em periódicos e livros), artísticos e de capacitação profissional. 

As inscrições podem ser feitas até 30 de junho pelo Sympla. A programação do evento e outras informações podem ser encontradas na página do evento no Facebook. Dúvidas devem ser encaminhadas para o e-mail adolescenciaseleis@gmail.com 

Trabalhos
As comunidades acadêmica e profissionais poderão apresentar trabalhos durante o evento. A finalidade é gerar debate crítico e incentivar a produção de soluções que problematizem a relação entre o adolescente e a criminalidade, considerando as interseções sociais, econômicas, jurídicas e subjetivas. As orientações estão no edital, e as submissões podem ser feitas até 15 de julho.

São quatro os eixos temáticos: Experiências adolescentes, infração e práticas socioeducativas; Adolescência e ato infracional: família; Adolescência e ato infracional: educação e profissionalização; Adolescência e ato infracional: construções singulares e institucionais das saídas da criminalidade.