Notícias Externas

Moradores de Barão de Cocais e Itatiaiuçu deixam casa após ameaça de rompimento de barragem

Situação está sob controle, segundo autoridades

Barragem da Mina de Gongo Seco, da Vale
Barragem da Mina de Gongo Seco, da Vale Imagem Google Maps

A Agência Nacional de Mineração determinou a retirada de cerca de 500 pessoas das comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteiras, todas em Barão de Cocais, por causa da Barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, da Vale e sirenes foram acionadas. Por nota, a Vale informou  que a decisão é preventiva e aconteceu após a empresa de consultoria Walm negar a Declaração de Condição de Estabilidade à estrutura. A partir daí, a mineradora começou a executar o nível 1 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração. De acordo com os Bombeiros, a barragem possui 83 metros e comporta mais de 9 milhões de 400 mil metros cúbicos de rejeito de mineração.

Em Itatiaiuçu, cerca de 200 pessoas do povoado de Pinheiros, foram retirados de suas casas e levadas para um hotel em Itaúna, na Região Centro-Oeste do estado, por conta por conta do risco de rompimento da barragem da Mina de Serra Azul. De acordo com a mineradora a ação decorre de uma inspeção da barragem de rejeitos e a auditoria independente responsável pela declaração de estabilidade revisou o último relatório e adotou para a barragem um Fator de Segurança mais restritivo.

Ouça reportagem de Vanessa Bugre, na locução de Alicianne Gonçalves