Notícias Externas

Programa Noite Ilustrada repercute vida e obra de Tom Wolfe

Pioneiro do chamado 'Novo Jornalismo', escritor estadunidense morreu na segunda-feira, 14

Tom Wolfe na Feira do Livro de Frankfurt em 1988.
Tom Wolfe, na Feira do Livro de Frankfurt, em 1988Wikimedia Commons

Conhecido como "o homem do terno branco”, o escritor estadunidense Tom Wolfe, um dos maiores e mais inovadores nomes do jornalismo do século 20, morreu nessa segunda-feira, 14, aos 87 anos. Wolfe foi um dos autores mais influentes do chamado jornalismo literário ou novo jornalismo, movimento que revolucionou a escrita de não-ficção a partir da década de 60. 

O professor Bruno Leal, do programa de Pós-graduação em Comunicação Social da UFMG, conversou sobre o trabalho de Tom Wolfe com o programa Noite Ilustrada, da Rádio UFMG Educativa, nessa quarta-feira, 16.

"Tom Wolfe trouxe para o jornalismo algumas estratégias da literatura moderna como, por exemplo, o fluxo de consciência, uma estratégia explorada com intensidade porJames Joyce. Então, ele incorporou essa estratégia narrativa aos seus relatos jornalísticos", explicou Bruno Leal.  

Ouça a conversa com Luiz Fernando Freitas