Notícias Externas

Paulo Guedes descarta realização de concursos públicos nos próximos anos

Se reposição não acontecer, alguns serviços podem ser prejudicados, segundo especialistas

Conheça as novas diretrizes para concursos públicos
Conheça as novas diretrizes para concursos públicos Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O Presidente Jair Bolsonaro publicou na última sexta-feira um decreto mudando as normas para abertura de vagas em concursos públicos no Poder Executivo Federal. O órgão ou a entidade que quiser realizar concurso terá que pedir autorização ao ministro da Economia, além de apresentar 14 tipos de informação, como: o perfil necessário aos candidatos; a descrição do processo de trabalho a ser desenvolvido; os resultados dos principais indicadores estratégicos do órgão ou da entidade nos últimos três anos; a evolução do quadro de pessoal nos cinco anos anteriores; e a estimativa de aposentadorias, por cada cargo, para os próximos cinco anos. O órgão ou a entidade também terá que demonstrar que os serviços que justificam a realização do concurso não podem ser prestados por terceirizados. Pelas regras atuais, os concursos públicos valem pelo prazo de dois anos prorrogáveis por mais dois anos. Com a mudança, não haverá mais prorrogação, a não ser que o edital defina essa possibilidade. As novas regras passam a valer no dia 1º de junho.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse no dia 15 de março que entre 40% e 50% dos servidores federais vão se aposentar nos próximos cinco anos e que não haverá concursos para preenchimento dos cargos que ficarem vagos. A Rádio UFMG Educativa conversou com especialistas sobre as prováveis consequências desse corte no funcionalismo federal. 

Ouça reportagem de Tiago de Holanda