Notícias Externas

População argentina rejeita pedido de socorro ao FMI

Para pesquisador Vítor de Pieri, empréstimo não resolve crise

Presidente argentino, Maurício Macri
Presidente argentino, Maurício Macri en.kremlim.ru | Reprodução

Cerca de 77% da população argentina rejeita o pedido de ajuda ao Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciado na última semana pelo presidente Maurício Macri. Ele tem uma imagem negativa para 62,7% dos argentinos. Dados são da pesquisa do Centro de Estudos de Opinião Pública, divulgados ontem, 14. O pedido de socorro ao FMI veio após forte desvalorização da moeda local, o peso, e a possibilidade de o país aprofundar sua crise econômica. O presidente não divulgou quanto vai pedir ao FMI, mas estima-se que 30 bilhões de dólares sejam emprestados, sob condições que ainda vão ser definidas. 

Em entrevista ao Jornal UFMG, veiculada nesta segunda, 14, o professor do Departamento de Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Vítor de Pieri explica as razões da crise argentina e suas consequências políticas e na relação com o Brasil. 

Ouça a conversa com o jornalista Vinicius Luiz