Arte e Cultura

Série de performances na Escola de Belas Artes investiga a preguiça

Série 'Preguiça e Rastros' ocupa espaços da EBA até o dia 25 de maio

Série de performances
Série de performances 'Preguiça e Rastros' está em cartaz a Escola de Belas ArtesDivulgação

É muito comum a gente sentir um pouco de preguiça de vez em quando. No entanto, você já parou para refletir se a preguiça é uma falta de atitude ou é uma espécie de comportamento? O Centro de Extensão da Escola de Belas Artes realiza até o dia 25 de maio a série de performances Preguiça e Rastros, com o objetivo de explorar a variedade de sentidos relacionados à preguiça como, por exemplo, o esgotamento da sociedade com a política e, principalmente, a arte pela perspectiva da preguiça. 

Além das performances, durante esse período, serão realizadas também roda de conversa e ocupação da galeria da Escola de Belas Artes com os trabalhos dos artistas, professores e alunos. 

Os alunos da Escola de Belas Artes Wemerson Moreira e Patricia Coelho, que são membros do Núcleo de Performance do Laboratório de Experimentação e Criação em Artes Cênicas da UFMG (Leca), conversaram sobre a série de performances com o programa Expresso 104,5, da Rádio UFMG Educativa, nesta terça-feira, 15.

Ouça a conversa com Filipe Sartoreto

A série de performances Preguiça e Rastros está em cartaz até o dia 25 de maio, na Galeria da Escola de Belas Artes da UFMG, no Campus Pampulha (Avenida Antônio Carlos, 6.627). As performances podem ser vistas de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h.