Programa UFMG de formação cidadã em defesa da democracia

A democracia é um valor inegociável para a UFMG. Ela é a base da liberdade de cátedra, da livre manifestação de ideias e de divulgação do pensamento, da autonomia universitária e do respeito incondicional ao Estado de Direito, dimensões que compõem o ethos de nossa comunidade universitária. 

Por isso, não surpreende o forte engajamento de nossos pesquisadores ao chamado do Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito do Programa de Combate à Desinformação.  Diversas iniciativas de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas na Universidade que permeiam essa temática atenderam de pronto a essa convocação e estão sendo integradas ao Programa UFMG de formação cidadã em defesa da democracia. 

A expectativa é que outras iniciativas sejam incorporadas a esse programa institucional, que visa veicular informações verdadeiras e fortalecer a democracia, a sociedade e o controle social. Propostas de adesão devem ser enviadas ao e-mail projetos@cedecom.ufmg.br. Todas as iniciativas serão reunidas em um e-book com ISBN, que será lançado em breve.

Em seus 95 anos de história, a UFMG jamais se furtou de assumir a defesa de valores democráticos. Agora, diante de um dos grandes males deste século – a desinformação –, oferecemos uma resposta vigorosa aos movimentos que buscam desacreditar nossas instituições. Elas precisam ser protegidas e fortalecidas. Só assim a nossa democracia será consolidada

    

  1. A perspectiva pragmática da crença na sociedade da desinformação e suas implicações nas eleições presidenciais do Brasil em 2022

    Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas
    Departamento de Comunicação Social 

    Coordenadores do projeto: Geane Carvalho Alzamora, Daniel Melo Ribeiro e Camilo Aggio. 

    Equipe do projeto:
    Conrado Mendes
    Natália Moura Pacheco
    Maria Ângela Mattos 
    Emmanuelle Dias 
    Jane Alexandre Mutsuque
    Alice Freitas Gomes
    Victor Góis de Oliveira Pacheco 
    Fábio Amaral de Oliveira Paes

    Esta pesquisa, de natureza interinstitucional, dá continuidade em 2022 aos esforços empreendidos entre 2020 e 2021 por pesquisadores da área de Comunicação Social na UFMG, UFOP e PUC Minas. Como resultado, publicamos em 2021 o livro de acesso gratuito "Sociedade da desinformação e infodemia"  e ofertamos em 2021 a disciplina homônima (30h) para os programas de pós-graduação em  Comunicação Social da UFMG, UFOP e PUCminas, com apoio do Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares da UFMG 

    Em 2022, damos continuidade à caracterização da Sociedade da Desinformação, com aportes da teoria da comunicação, teorias da informação, pragmatismo, semiótica e estudos contemporâneos de teorias das conspirações. As eleições presidenciais no Brasil configuram o recorte empírico de nossa investigação em 2022.

    MediAção | Selo PPGCOM

  2. Boletim Matinal da Faculdade de Medicina da UFMG

    Faculdade de Medicina da UFMG 

    Coordenadores do projeto: Unaí Tupinambás e Maria do Carmo Barros de Melo

    Equipe do projeto: 
    Mateus Rodrigues Westin
    Lilian Martins Oliveira Diniz 
    Priscila Menezes Ferri Liu 
    Shinfay Maximilian Liu 

    Apresentação do projeto: 

    Projeto criado nos primeiros meses do decreto da pandemia de covid-19 com objetivo de divulgar informações científicas, dados epidemiológicos e outras notícias importantes de interesse da comunidade.Um dos objetivos do projeto era combater a desinformação e combater como “notícias falsas”. A era estruturada em um artigo científico de publicação publicado em periódicos indexados seguidos de mais resumos artigos de sobre sars-covid-19. Durante os 2 primeiros anos edição foi diária, sete vezes por semana a partir de janeiro de 22 três edições semanasis e nesta fase da pandemia uma edição semanas (15/08/22). Última edição de número 687. Divulgado pelas mídias sociais e outros grupos de whatsapp com alcance nacional e internacional 

    Instagram |Twitter | Site


  3. DigitalConst

    Faculdade de Direito da UFMG

    Coordenadores do projeto: Emílio Peluso Neder Meyer e  Fabrício Bertini Pasquot Polido 

    Equipe do projeto:
    Ana Luiza Pinto Coelho Marques
    Fernanda Duarte Amaral

    Apresentação do projeto:

    O projeto “Governança de conteúdo, constitucionalismo digital e diálogos jurisdicionais” visa explorar as conexões entre governança de conteúdo, constitucionalismo digital e diálogos jurisdicionais, questionando o modo adequado da regulação da troca de conteúdos na internet. De pontos de vista jurídico, institucional e políticos, a moderação de conteúdo na internet será analisada com vistas a definir e influenciar políticas públicas implementadas por atores estatais e não estatais. Uma vez que grande parte dos sistemas atuais de moderação de conteúdo são baseados em sistemas que combinam sistemas inteligentes e autônomos (por exemplo, inteligência artificial) com ações efetivamente humanas, as principais perguntas de pesquisa se relacionam com: 

    i) fricções entre moderação de conteúdo online e prescrições normativas executáveis (por exemplo, advindos de regulações privadas transnacionais); e, 

    ii) fricções entre moderação de conteúdo e normas constitucionais e infraconstitucionais locais

    Usando o constitucionalismo digital para frear o populismo digital

  4. Dinâmicas da desinformação

    Escola de Ciência da Informação

    Coordenador do projeto: Carlos Alberto Ávila Araújo

    Equipe do projeto:
    Rodrigo Moreno Marques
    Lorena Tavares de Paula
    Ana Paula Meneses Alves
    Cláudio Paixão Anastácio de Paula 

    Apresentação do projeto: 

    Trata-se de uma ampla ação de pesquisa que se desenvolve atualmente por meio de linhas principais de aquisição (se uma perspectiva de estudo de todas as redes sociais etnomelógicas); ecossistemas de desinformação (numa perspectiva biopsicossocial); qualidade das fontes de informação e autoridade competente; economia política e políticas de informação de informação para o enfrentamento da informação. O projeto de intervenção para formação de campos de extensão como ponte, como discussão e discussão de questões diferentes na formação de problemas de extensão, entre uma política social para questões de extensão, prevê um meio a ciência social e a sociedade

    Pós verdade, informação e os riscos para a democracia


  5. Diretoria de Divulgação Científica

    Pró-reitoria de extensão  

    Coordenadora do projeto: Viviane de Souza Alves 

    Equipe do projeto:
    Denise Bianca Maduro Silva
    Luana Vogel Metzker
    Marcelo Pereira, 
    Naiemer Ribeiro de Carvalho 
    Virgínia Lages Silva

    Apresentação do projeto: 

    A divulgação científica é ferramenta essencial para combater a desinformação nas mais variadas áreas de conhecimento. Neste contexto, a DDC representa o suporte necessário à divulgação Científica na UFMG, coordenando o monitoramento contínuo das Políticas de Divulgação Científica, de acordo com as Resoluções 02 e 03 de 2021. Coordenação e apoio logístico à Formação Transversa em Divulgação Científica. 

    Apoia e promove a divulgação científica na UFMG em parceria com a Rede de Museus, PRPq e CEDECOM. Promove e a UFMG Jovem, uma feira anual que se consolida como um espaço socializador que contribui para a formação cidadã e humana de alunos(as), pais, professores(as) e visitantes em geral, estimulando a tomada de decisões e consciência crítica com base em conceitos científicos corretos.

    Site

  6. Educação para o enfrentamento de estratégias organizacionais de desinformação

    Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas
    Departamento de Comunicação Social 

    Coordenador do projeto: Daniel Reis Silva 

    Apresentação do projeto: 

    Projeto de extensão com objetivo de capacitar estudantes de médio a identificar e lidar com estratégias contemporâneas especialmente abusivas de comunicação organizacional, práticas que ampliam e exploram a vulnerabilidade pública, promovendo a formação, a fabricação de segurança e embaralhando a circulação de sentidos. 
    Ancorado em pesquisas críticas sobre comunicação e relações públicas em nossa estrutura de trabalho, reconhecidos e últimos projetos em sua qualidade: 

    (a) encontros formativos com estudantes, seleção de seleção e serviços organizacionais sua capacidade de identificar práticas de duas práticas; 

    (b) oficinas de construção colaborativa de materiais sobre o tema, pensando em formas de ampliar o escopo do projeto para além da sala de aula e dos estudantes participantes

  7. Eleições sem Fake

    Departamento de Ciência da Computação

    Coordenador do projeto: Fabrício Benevenuto

    Equipe do projeto: 
    Felipe Freitas 
    Júlio Reis 
    Samuel Guimarães 
    Daniel Kansaon 
    Márcio Silva 
    Pedro Vaz de Melo 

    Apresentação do projeto: 

    Desde a eleição de 2018, nosso grupo vem para soluções tecnológicas para trazer transparências midiáticas em que atua na desinformação. O grupo criou uma série através de soluções tecnológicas, projetos de web, que visam dar transparência como diversas formas de ajudar a educar e mitigar sistemas de desinformação. Um dos mais importantes sistemas monitorados desde 2018, todos os sistemas políticos relacionados aos públicos no WhatsApp. O sistema foi utilizado por mais de 250 jornalistas com linha editorial e pelas principais equipes de checagem de fatos e fatos brasileiros, oferecendo informação de interesse de dados que embasaram ou deram origem a um relatório de grande importância dedicado a um desmentimento público de informações identificadas no nosso monitoramento.

    Eleições 

  8. Infodemia | Ética em Diagnóstico por Imagem

    Faculdade de Medicina da UFMG 

    Coordenadora do projeto: Crissia Carem

    Equipe do projeto:
    Adriana de Souza Medeiros
    Luciana Batista Nogueira
    Talita de Oliveira Santos
    Rodrigo Modesto Gadelha



  9. Lógicas da evidência e verdade aplicadas à informação: aspectos técnicos e conceituais

    Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG

    Coordenador do projeto: Abílio Rodrigues

    Apresentação do projeto: 

    O comportamento lógico é capaz de verificar o projeto dedutivo de informação confiável e não confiável. Tais lógicas podem ser tratadas para tratar bases de informações incompletas e contraditórias. Um dos objetivos secundários do projeto é investigar os fenômenos do negacionismo e da desinformação, e também possíveis aplicações dos sistemas formais investigados em bancos de dados não estruturas da Web, como por exemplo a Web.


  10. MicroUFMG

    Instituto de Ciências Biológicas
    Departamento de Microbiologia

    Coordenadora do projeto: Viviane de Souza Alves 

    Equipe do projeto: 
    Giliane de Souza Trindade
    Jônatas Santos Abrahão
    Betania Paiva Drumond
    Lucas Herbert Freitas Gonçalves

    Apresentação do projeto: 

    O @microUFMG, e seu podcast @microbiopodscast (disponivel em todos os tocadores de podcast) tem como objetivo aproximar a comunidade intra e extramuros das atividades de ensino, e extensão do departamento de Microbiologia-ICB-UFMG, bem como dar informações De maneira acessível ao público, lei de microbiologia, para permitir que a população como um todo entenda a importância do mundo microbiano na sobrevivência dos seres humanos e do planeta. Entre estes objetivos não contribui para a desinformação, auxiliar no enfrentamento de surtos, epidemias, epidemias e epidemias, por meio de combate ao combate à pandemia e embasamento científico

    Instagram 

  11. Observatório da Democracia Brasileira | DEMOS

    Faculdade de Direito da UFMG 

    Coordenador do projeto: Emílio Peluso Neder Meyer

    Equipe do projeto:
    Bruno Lorenzetto 
    Clara Kelle
    Estefânia Barboza 
    Ivar Hartmann 
    João Paulo Bachur 
    José Rodrigo Rodríguez 
    Diego Arguelhes  
    Gustavo Buss 

    Apresentação do projeto 

    O Demos é um observatório idealizado por projetos de pesquisa diferentes, mas que convergem no aspecto de um monitoramento ativo do movimento eleitoral brasileiro em 2022. já por cada um dos integrantes, associando-as como monitoramento ativo do processo eleitoral, até como vertente para a defesa democrática. É uma experiência justamente pela pesquisa de grupos de pesquisadores e já institutos que permitiram a pesquisa de agregação de conceitos aprofundados ao contexto relevante em voga na voga na concepção da produção pública quanto à defesa da proposta das públicas calças brasileiras que se aproximam.

    Site

  12. Observatório das Eleições e da Democracia 2022

    Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas
    Departamento de Ciência Política

    Coordenador do projeto:Leonardo Avritzer

    Equipe do projeto:
    Marjorie Marona 
    Marisa von Bülow 
    Carlos Ranulfo F. Melo 
    Fabiano Santos 
    Flávia Birolli
    Oswaldo E. do Amaral 
    Luciana Santana 
    Fábio Kerche 
    Helena Martins 
    Marta Mendes 
    Leonardo Barros Soares 
    Priscila Carvalho 
    Rachel Callai Bragatto 
    Priscila Zanandrez 
    Maria Alice Silveira Ferreira 
    Eliara Santana 
    Alexandre Arns Gonzales 
    Carla Rosário 
    Mariana Dutra 
    Washington Santos 

    Apresentação do projeto 

    O Observatório das Eleições 2022 é uma iniciativa do Instituto da Democracia e Democratização da Comunicação (INCT IDDC). Reúne especialistas de diversas áreas, como cientistas, juristas, sociólogos e comunicólogos. Disponibiliza artigos, vídeos, infográficos e outros formatos de conteúdo sobre dispositivos públicos, através de dados originais ou sistemas de dados.
    Fruto da comunidade entre políticos cientistas, cientistas e institutos de pesquisa de renome, o Observatório desde a educação e os existentes para debate, como centrais e centrais no processo eleitoral.
    Em sua terceira edição, pretenda ampliar o alcance e impacto de suas vistas. Durante as modalidades de eleição de 2020, foram cerca de 130 sobre o processo eleitoral escrito e investigado por todas as regiões de disciplinas mais especializadas e com inserção em diversas disciplinas e disciplinas, configurando um conjunto de disciplinas de 60 professores e plurais a análise das disciplinas mais especializados.
    2022, em primeira mão dos resultados das pesquisas inéditas do INCT, também da iniciativa Democracia no Brasil, também do INCT IDDC. Além disso, fará um levantamento de dados com foco em um monitoramento do papel das redes sociais de justiça no resultado das salvaguardas do sistema independente.

    Observatório 

  13. A democracia deliberativa em face da crise da democracia: contribuições, dilemas e trilhas

    Departamento de Ciência Política

    Coordenador do projeto: Ricardo Fabrino Mendonça

    Equipe do projeto:
    Rayza Sarmento
    Selen Ercan
    Francisco Mata Machado Tavares
    Viviane Gonçalves Freitas
    Filipe Mendes Motta
    Camilo Aggio
    Viktor Chagas

    Apresentação do projeto: 

    O presente projeto de pesquisa busca refletir sobre os dilemas e desafios colocados, hoje, à democracia. Resgatando a normatividade da teoria deliberacionista, propomo-nos a pensar o que ela tem a dizer sobre a erosão democrática, avaliando as condições econômicas, epistêmicas e sociopolíticas para pensar debate público na atualidade. A investigação se dedica, assim, a três temas que centrais: (1) as formas, desafios e possibilidades da discussão pública em tempos de abundância comunicativa, com especial atenção ao fenômeno da desinformação; (2) a relação entre economia e democracia; e (3) os contornos do confronto político contemporâneo, colocando em relevo a expansão de formas de ativismo marcadas por um contexto propício a estratégias comunicacionais populistas.

  14. Programa Pensar a Educação Pensar o Brasil

    Faculdade de Educação da UFMG 

    Coordenadora do projeto: Libéria Neve 

    Equipe do projeto:
    Eliezer Costa 
    Luciano Mendes
    Sandro Santos

    Apresentação do projeto:

    Para o período de 2022 a 2025, projetos a realização de 06 projetos com unidades da Faculdade de Educação e outras articulações da UFMG. Sob coordenação da professora Dra. Libéria Neves e uma gestão compartilhada com outros docentes da FAE, do EFFETO, da Fafich e do COLTEC, o Programa organiza, coordena, articula e avalia os seguintes projetos:

    - Programa de Rádio Pensar a Educação Pensar o Brasil com programação semanal pela Rádio Educativa da UFMG
    - Gestão de Mídias: planejamento e avaliação estratégica de comunicação integrada do projeto; mobilização de diferentes mídias para divulgação de conhecimentos sobre a área da universidade pública e interatividade com o interno e externo à universidade (Portal do Projeto; Jornal e periódicos; - WhatsApp; Twitter; YouTube; Instagram e Facebook).

    - Jornal a Educação em Pauta: com textos escritos para um grupo de articulistas 
    - Revista Brasileira de Educação Básica (RBEB): publicado em 2015, com edições virtuais, de livre, para divulgação científica.
    - Estúdios responsáveis pela produção audiovisual sobre educação, entrevistas
    - Projeto de Curricularização da Extensão na FAE/UFMG: implementação e acompanhamento do processo de curricularização da extensão na Faculdade de Educação. 

  15. Sociedade da Informação e Governo Algorítmico

    Faculdade de Direito da UFMG 

    Coordenador do projeto: Professor Marco Antônio Sousa Alves 


  16. Mensurando incertezas, compartilhando controvérsias: Dinâmicas contemporâneas de plataformização da ciência

    Departamento de Comunicação Social 

    Coordenador do projeto: Carlos d'Andréa

    Equipe do projeto:
    Gregório de Almeida Fonseca 
    Verônica Soares da Costa
    Thaiane Moreira de Oliveira
    Amanda Chevtchouk Jurno
    Gracila Ferreira Vilaça
    Silvia Dalben Furtado
    Daniel Felipe Emergente Loiola
    Natália Santos Dias

    Apresentação do projeto:
    O projeto de pesquisa busca compreender as dinâmicas de plataformização da ciência no cenário contemporâneo marcado por crescentes controvérsias e incertezas. Argumentamos que um processo de mútua influência marca as relações entre a tecnociência e plataformas infraestruturais como a Alphabet/Google e Meta/Facebook. Na medida as plataformas se apropriam de procedimentos científicos para diversificar sua atuação e ampliar sua lucratividade, as dinâmicas desinformativas se constituiem em articulação com as lógicas de datificação e algorítmicas das plataformas. Buscando articulações teóricas e metodológicas inovadoras, a equipe do projeto realiza pesquisas empíricas sobre diferentes plataformas e temáticas científicas.