Internacional

Abertas inscrições para a segunda edição da escola de inverno sobre direitos humanos

Atividade, que começa no fim de junho, é uma iniciativa de cátedra da AUGM sediada na UFMG

Em 2020, foi realizada na UFMG a Escola de Verão sobre educação em direitos humanos, que inaugurou as ações da Cátedra de Direitos Humanos da AUGM
Em 2020, o curso realizado na UFMG inaugurou as atividades da Cátedra de Direitos Humanos da AUGM Assessoria de Comunicação | Proex

Com o objetivo de propor reflexões aprofundadas sobre os princípios, valores e aspectos que marcam os direitos humanos no Brasil, na América Latina e no mundo, a UFMG e a Associação das Universidades do Grupo Montevidéu (AUGM) promoverão, de 30 de junho a 1º de agosto, a Escola de Inverno – Educação em Direitos Humanos.

As inscrições, abertas até a data de início da atividade, devem ser realizadas por meio de preenchimento do formulário eletrônico, disponível em portuguêsespanhol. A formação é aberta a todos os interessados, em especial estudantes de graduação e pós-graduação, professores, servidores técnico-administrativos de universidades e gestores de políticas públicas.
 
O curso terá encontros virtuais às quartas-feiras, das 17h às 19h, transmitidos pelo canal da Pró-reitoria de Extensão no YouTube. A organização prevê carga total de 30 horas-aula e emissão de certificados para os participantes que cumprirem 75% das atividades. 

As aulas serão ministradas por docentes de 12 universidades vinculadas à Cátedra Aberta de Direitos Humanos da AUGM. As universidades do Chile, Mayor de San Andrés (Bolívia) e Nacional do Litoral (Argentina) são algumas das instituições participantes do projeto. No Brasil, além da UFMG, o evento reúne professores da Universidade Federal de Goiás (UFG) e da Unicamp.
 
Abordagem ampliada
A escola de inverno tem o objetivo de oferecer uma abordagem dos aspectos históricos, políticos, sociais, educacionais, jurídicos, subjetivos e culturais dos direitos humanos. Sua primeira edição foi realizada em fevereiro de 2020, de forma presencial, no prédio da Face, no campus Pampulha.

Cada encontro contará com um mediador (representante da cátedra), dois docentes e um servidor técnico-administrativo. Em suas exposições, os docentes vão articular teoria e prática de temas como direitos humanos e população LGBTQI+, imigração, refúgio e educação para a igualdade racial e de gênero.