Pesquisa da UFMG mostra como motociclistas percebem comportamentos de risco

Discutir no trânsito é o comportamento perigoso mais citado em Belo Horizonte, revela dissertação da Faculdade de Medicina

A maioria dos motociclistas de Belo Horizonte reconhece atitudes perigosas, mas, mesmo assim, assume os riscos. O comportamento arriscado mais frequente é discutir no trânsito, citado por pouco mais de 40% dos condutores. Já outros 31% apontaram usar o celular enquanto dirige e, em torno de 29%, citaram mudar de faixa sem ligar a seta. 

Essa é uma das conclusões da dissertação de mestrado defendida por Walisson Queiroga de Figueiredo no Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde e Prevenção da Violência da Faculdade de Medicina da UFMG. A pesquisa também buscou entender que fatores podem levar a mudanças de comportamento dos condutores. Saiba mais no episódio 19 do Aqui tem ciência da Rádio UFMG Educativa.

Esse é o terceiro episódio da série especial do Aqui tem ciência que traz pesquisas sobre Belo Horizonte em homenagem ao mês de aniversário da capital mineira. O primeiro episódio foi sobre pesquisa da Pós-Graduação em Administração que investigou a influência da questão de gênero no trabalho de grafiteiras. O segundo episódio abordou o papel de catadores de lixo nas decisões sobre gestão e destinação de resíduos no município. 

Nesta semana, vai ao ar o último episódio, sobre um estudo do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação que buscou entender como líderes religiosos usam os canais e as fontes de informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões.

Raio-x da pesquisa

Título original: Comportamentos e percepções de riscos de condutores de motocicleta em Belo Horizonte – Resultados do inquérito populacional Sauvi, 2014

O que é: análise dos comportamentos e percepções de risco dos condutores de motocicletas em Belo Horizonte com base em dados do inquérito populacional intitulado Saúde e violência: subsídios para formulação de políticas de promoção de saúde e prevenção da violência (Sauvi, 2014) 

Nome do pesquisador: Walisson Queiroga de Figueiredo 

Ano da defesa: 2019

Programa de Pós-Graduação: Promoção da Saúde e Prevenção da Violência, da Faculdade de Medicina 

Orientador: Fernando Madalena Volpe

O episódio 19 do Aqui tem ciência teve apresentação de Breno Benevides, produção de Alessandra Ribeiro, edição e coordenação de jornalismo de Paula Alkmim e trabalhos técnicos de Tiago França. O programa é uma pílula radiofônica sobre pesquisas da UFMG, abrangendo todas as áreas do conhecimento. A cada semana, a equipe da Rádio UFMG Educativa apresenta resultados de trabalho de um pesquisador da Universidade. O Aqui tem ciência fica disponível em aplicativos de podcast e vai ao ar na frequência 104,5 FM às segundas-feiras, 11h, com reprises às quartas-feiras, a partir das 14h30, e sextas-feiras, às 20h.

Assessoria de Imprensa UFMG

Fonte

Assessoria de Imprensa UFMG

Serviço