Notícias Externas

Projeto de Lei municipal prevê alterações para bibliotecários

De acordo com a categoria o funcionamento das bibliotecas, a carga horária e os salários dos profissionais não estão claros no projeto apresando

Situação dos bibliotecários após alterações na rede de ensino será tema de debate
Situação dos bibliotecários após alterações na rede de ensino será tema de debate Portal PBH

Encaminhado à Câmara Municipal pelo Executivo, o Projeto de Lei 442/2017, quer alterar a organização da Rede Municipal de Ensino. Um das questões que ganha destaque é a situação da categoria dos bibliotecários. Para atender todas as escolas municipais de BH o projeto quer criar 380 novas vagas para área. Mas o funcionamento das bibliotecas e a situação dos bibliotecários da rede municipal apresentados no projeto de lei têm gerado muitas dúvidas. Uma delas diz respeito à questão da isonomia salarial.

É que o projeto quer dividir o cargo de bibliotecário em pleno e sênior, com remunerações distintas, mesmo que não haja diferenciações na forma de ingresso e nas atividades. De acordo com o diretor do Sindibel, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Fabio Maia, atualmente em BH, um bibliotecário ganha mais de R$ 4 mil por mês, já para quem vai tomar posse de uma das 380 novas vagas iria receber um salário de mais ou menos R$ 2 mil, ou seja metade.  Na avaliação de Fabio Maia, esse é um dos pontos mais polêmicos do projeto.

Ouça reportagem de Jessika Viveiros