Notícias Externas

Três anos depois do rompimento da barragem de Mariana ninguém foi condenado

Desastre deixou 19 mortos e até hoje as famílias esperam por indenizações

Distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, após rompimento da barragem de Fundão
Distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, após rompimento da barragem de Fundão Romerito Pontes from São Carlos - [2015-11-10] Visita à Bento Rodrigues-MG_113_Romerito Pontes I CC BY 2.0

Enquanto as famílias esperam notícias em Brumadinho, a Vale, proprietária da barragem rompida no Córrego do Feijão, já teve quase doze bilhões de reais bloqueados pela Justiça. Além disso, a Polícia Federal e a Polícia Civil de Minas já instauraram inquérito para apurar as causas e as consequências do rompimento da barragem. Mas fica a questão: isso será suficiente para punir a empresa e trazer justiça às vítimas? 

Em novembro de 2015, o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, deixou 19 mortos e centenas de famílias perderam suas casas, mas até hoje ninguém foi condenado e indenizações ainda geram conflitos entre empresa e famílias.   

Ouça reportagem de Alicianne Gonçalves