Notícias Externas

Exposição reúne objetos que retratam ofícios comuns na história de BH

Objetos registram ofícios mais comuns e recorrentes na capital mineira

Máquina de costura é um dos objetos que serão expostos
Máquina de costura é um dos objetos que serão expostos Foto: Miguel Aun

Há diversas maneiras de se conhecer uma cidade: conversar com os habitantes, visitar os pontos turísticos, passar a temporada de carnaval ou procurar pela sua história. Mas essa história não está só nos livros: os objetos mais triviais e cotidianos de uma determinada época, quando deslocados no tempo, podem revelar muito sobre o que a cidade já viveu.

A cidade de Belo Horizonte recebe a partir desta sexta-feira, 9, a exposição Artes do Fazer, uma seleção de objetos que pertencem ao acervo do Museu Histórico Abílio Barreto  (Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim), que registram a trajetória dos ofícios mais comuns e recorrentes na história da capital mineira.

“Essa exposição tem o objetivo de mobilizar o acervo que é preservado pelo Museu Abílio Barreto. Durante três vezes no ano, a gente propõe temas contemplados pelo nosso acervo. Desta vez, optamos por explorar os ofícios, que são formas mais tradicionais de organização do trabalho, com a ideia justamente de explorar esse tema em uma cidade que já nasceu num contexto industrial, como Belo Horizonte”, afirmou Raphael Rajão Ribeiro, curador da exposição, em entrevista ao programa Conexões, da Rádio UFMG Educativa, nesta quinta-feira, 8.

A exposição Artes do Fazer fica aberta para visitação até o mês de maio. De terça a domingo, o horário vai das 10h às 17h; nas quartas e quintas, o horário se estende até as 18h30. A entrada é franca. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (31) 3277-8573.

Ouça a conversa com Luíza Glória
Fachada do edifício que sedia o MHAB, no Cidade Jardim
Fachada do edifício que sedia o MHAB, no Cidade Jardim Foto: Nathália Turcheti